PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Ataques ao TSE foram feitos para fortalecer discurso de ‘fraude’, diz investigação

Tribunal Regional Eleitoral faz demonstrações da urna biométrica no fim de semana no Distrito Federal, para familiarizar o eleitor com a urna eletrônica (José Cruz/Agência Brasil)

Ciberataques não têm relação com atraso na apuração, mas deram combustível para discurso bolsonarista contra o sistema eleitoral

Os ataques de hackers ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no último domingo (15), tinham como objetivo “desacreditar a Justiça Eleitoral” e foi realizado por uma “operação coordenada”. É o que aponta investifação da SaferNet, empresa que trabalha em parceria com o Ministério Público Federal (MPF).

O tribunal foi alvo de negação de serviço (DDoS) contra os seus servidores e o vazamento de dados de funcionários. “Trata-se de uma operação coordenada e planejada para ser executada no dia das eleições com o objetivo de desacreditar a Justiça Eleitoral e eventualmente alegar fraude no resultado desfavorável a certos candidatos”, explicou Thiago Tavares, presidente da SaferNet, à Folha de S.Paulo.

O especialista digital relata que, às 09h25 do domingo, houve vazamento de dados antigos de um banco de dados com informações desatualizadas sobre o sistema de recursos humanos da Justiça Eleitoral. Entretanto, os hackers obtiveram os dados antes de 23 de outubro e vazaram ontem.

Em paralelo, foi feito ataque de negação de serviço, às 10h41, para tirar do ar o site e alguns serviços da Justiça Eleitoral. “Apesar de o ataque ter sido feito antes de 23 de outubro, deixaram para publicar o vazamento dos dados na manhã de hoje, para causar mais impacto”, acrescentou Tavares.

Discurso bolsonarista

Os ataques ao TSE não têm relação com o atraso da apuração dos votos na eleição municipal. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, explicou que a demora foi causada por um problema técnico em um dos processadores do computador responsável pela totalização dos resultados.

Entretanto, o problema técnico, somado às informações dos ataques contra o TSE, resultaram em campanhas dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, nas redes sociais, para questionar a integridade do sistema eleitoral e dos resultados da eleição. Durante o domingo, diversos perfis divulgaram mensagens apontando para supostas fraudes eleitorais e falta de credibilidade do TSE.

De acordo com o presidente da SaferNet, grupos e perfis de extrema-direita, como o cientista político Paulo Moura, já divulgavam mensagens para descredibilizar as eleições. “Vários grupos políticos já estavam havia dias questionando a segurança dos servidores do TSE e das urnas, como que antevendo o anúncio do suposto hacking”, diz Tavares.

Rede Brasil Atual