PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Bolsonaro diz que “é o destino de todo o mundo” e veta ajuda aos estados

A pandemia continua avançando e ceifando vidas pelo Brasil, que graças à política obscurantista e irresponsável do governo Bolsonaro é o quarto com maior número de óbitos e o terceiro no ranking mundial de casos do novo coronavírus, atrás apenas dos EUA, Reino Unido e Itália.

Estatísticas divulgadas pelas secretarias de Saúde dos estados nesta quarta (3) indicam que o país registra 560.737 casos da doença (que o presidente chamou de “gripezinha”) e 31.417 mortes. A terça (2) foi marcada por um novo recorde de óbitos em 24 horas: 1262.

Privilegiando banqueiros

Enquanto a marcha fúnebre do vírus prossegue, o presidente Jair Bolsonaro exibe despreocupação e insensibilidade em relação ao sofrimento das vítimas e suas famílias. Pela manhã disse a apoiadores diante do Palácio do Planalto que até lamenta as mortes, mas “é o destino de todo mundo”.

Não ficou só nisto. Tratou também de sabotar esforços do Congresso Nacional para combater a crise sanitária, vetando dispositivo de uma lei aprovada pelo Parlamento que destinava R$ 8,6 bilhões para estados, Distrito Federal e municípios comprarem equipamentos e materiais de combate à Covid-19.

Se prevalecer o veto (que pode ser derrubado pelos parlamentares) os recursos, originários do Fundo de Reserva Monetária, serão utilizados para pagar dívidas contraídas pelos governos estaduais. Ou seja, Bolsonaro preferiu transferir o dinheiro aos banqueiros, a quem ele e o ministro Pulo Guedes prestam vassalagem, do que à guerra contra o coronavírus.

O deputado Luís Miranda (DF), vice líder do DEM e que relatou o texto na Câmara Federal, não conseguiu ocultar a indignação. “Por que esse presidente é tão do contra? Por que o presidente veta recursos da saúde que iriam aos municípios e estados? Por que ele prefere pagar bancos antecipados, a destinar recursos aos mais necessitados? Que inferno ser parlamentar com um presidente tão egoísta…. Ele te obriga a ser do contra, a ser oposição, onde para ajudar o país você tem que ser contra o presidente, isso é um absurdo!”, disse.

Olhem que o DEM, partido ligado aos grandes capitalistas do campo, não é de esquerda nem de centro-esquerda. O comportamento do chefe do Poder Executivo é um escárnio para qualquer cidadão brasileiro dotado de bom senso. Em defesa da nação, da democracia e do povo brasileiro é necessário afastá-lo o quanto antes da Presidência.

Umberto Martins – CTB