PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Brasil chega a mais de 20 mil mortes por covid-19

País tem 310.087 casos confirmados e 1.188 novas mortes registradas em um dia.

O Brasil superou mais uma vez o número de mortes registradas em um dia, atingiu 1.188. Com este acréscimo, o total chegou a 20.047. Doze dias atrás, os mortos somavam 10.627, período em que o número dobrou. O resultado representou um aumento de 6,2% em relação a quarta-feira (20), quando foram contabilizados 18.859 mil falecimentos por covid-19.

O país passou da casa dos 300 mil casos confirmados do novo coronavírus, de acordo com o balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta quinta (21). Foram registrados 18.508 novas pessoas infectadas por covid-19, totalizando 310.087. O resultado marcou um acréscimo de 6,3% em relação a ontem, quando o número de pessoas infectadas estava em 291.579.

Do total de casos confirmados, 164.080 (53%) estão em acompanhamento e 125.960 (40,6%) foram recuperados. Há ainda 3.534 óbitos em investigação.

Recorde atrás de recorde

Terça-feira, o país havia registrado pela primeira vez mais de mil óbitos entre um dia e outro: 1.179 mortes. Já quarta, a marca negativa foi atingida com a maior quantidade de casos confirmados em um dia, 19.951 diagnósticos. Os valores desta quinta, com mais de 18 mil novos diagnósticos, representam a segunda pior atualização desde o início da pandemia.

Foram precisos apenas 11 dias para dobrar de 100 mil para 200 mil casos de contágios e apenas uma semana para chegar aos 300 mil. O primeiro caso foi em 26 de fevereiro, os primeiros 101.227 foram confirmados em 3 de maio (67 dias depois), os 200 mil foram diagnosticados em 14 de maio (11 dias depois), e os 310.087, agora (21 de maio), apenas uma semana depois. Ou seja, em menos de um mês, o país passou dos mais de 100 mil casos para mais de 300 mil diagnósticos. O avanço da covid-19 em sete dias aponta a velocidade do contágio da doença. Quantos dias serão precisos para atingir 400 mil casos?

Brasil acima de todos

Com a confirmação de 1.188 novas mortes oficializadas nas últimas 24 horas, o Brasil confirma previsão feita por estudos de que tende a se tornar um novo epicentro mundial da covid-19.

Em um momento de aceleração da pandemia, o país tem registrado mais mortes que os antigos epicentros da pandemia no mundo, onde a curva já está em queda.

O número é cerca de dez vezes maior que o da Espanha e o da França, por exemplo, que registraram, respectivamente, 110 e 109 óbitos segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Também supera amplamente a Itália (161), e é cerca de o triplo do índice do Reino Unido (363) A China, onde o novo coronavírus foi descoberto, não registrou novos óbitos. Mesmo se somados, os novos óbitos nesses países não chegam ao total registrado pelo Brasil hoje: o número seria de 743 mortes em todos os países citados acima.

Números regionais

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (5.558). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (3.412), Ceará (2.161), Pernambuco (1.925) e Pará (1.852).

Além disso, foram registradas mortes no Amazonas (1.620), Maranhão (663), Bahia (376), Espírito Santo (363), Alagoas (262), Paraíba (245), Minas Gerais (191), Rio Grande do Norte (178), Rio Grande do Sul (166), Amapá (151), Paraná (141), Rondônia (101), Santa Catarina (98), Piauí (91), Goiás (85), Acre (78), Distrito Federal (84), Sergipe (76), Roraima (72), Tocantins (47), Mato Grosso (34) e Mato Grosso do Sul (17).

Já em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (73.739), Rio de Janeiro (32.089), Ceará (31.413), Amazonas (25.367) e Pernambuco (23.911). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Pará (19.756), Maranhão (16.058), Bahia (11.941), Espírito Santo (8.878) e Paraíba (6.238).

Portal Vermelho