PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Conheça nossa História

O Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região foi fundado no dia 6 de março de 1933. Ao longo dos anos, a entidade esteve presente nos principais e mais decisivos momentos na história da cidade, da região e do país. O seu primeiro presidente foi Adelino Lucatelli, de 1933 a 1937. Durante o Estado Novo, iniciou o mandato do segundo presidente, José Piovan, de 1937 a 1938. Em 1938, foi escolhido como presidente Francisco Abel, que no mesmo ano foi substituído por Arlindo Zuanazzi. No ano de 1939, Zuanazzi foi demitido da fábrica, assumindo o cargo Clodomiro Marques Baptista. Ainda em 1939, assume a presidência Agnelo Dias da Silva, substituído, no ano seguinte, por Nestor Ferreira Porto. Em 1940 ocorre a alteração do nome da entidade, passando a chamar-se Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul.

 

04

 

Em 1944, assume a presidência Clodomiro Marques Baptista, em meio à vigência da CLT e da Segunda Guerra, que promoveu a aceleração no crescimento das indústrias metalúrgicas de Caxias do Sul ao fazer a substituição de importações, fabricando peças de reposição de máquinas e veículos. Em 9 de outubro de 1948, uma portaria ministerial destitui da presidência Clodomiro Marques Baptista, nomeando uma junta liderada por Nestor Ferreira Porto. Em novembro de 1950 assume o novo presidente, Etelvino Zorzi. Em meio ao crescimento industrial e de operários, em 1952 é eleito Pedro Olavo Hoffmann.

Em 1955, Etelvino Zorzi volta à presidência. Contudo, despontava como liderança operária Bruno Segalla, que se elegeu vereador em 1956 pelo Partido Social Progressista e razão da Ilegalidade do Partido Comunista. Sua liderança manifestava-se também na conquista da presidência do sindicato em 1957, e reeleição em 1959. Com a política econômica de aceleração da industrialização do país de Juscelino Kubitschek, houve crescimento industrial também em Caxias do Sul. Os metalúrgicos obtiveram importante conquista no dissídio de 1960, com aumento salarial de 32%. Nesse ano, o sindicato anexou à sua base territorial os municípios de Carlos Barbosa e Garibaldi.

 

bruno-segalla2

 

Operários metalúrgicos caxienses entram greve em 1963, quando Brugno Segalla é reconduzido à presidência do sindicato.  O Golpe Militar de 64 reprimiu mobilizações, interveio nos sindicatos e cassou suas lideranças combativas. Em Caxias do Sul, uma intervenção extingue o mandato da diretoria do sindicato. Ainda em 64, o general interventor nomeou para presidir provisoriamente o sindicato Olice Alcides Guerra, que mais tarde convocou eleição que elegeu Antonio Olívio Frigeri. Uma importante conquista efetuada durante o mandato foi o pagamento da insalubridade obtida judicialmente em 1968. Outra foi a inauguração, em 1975, da nova sede do sindicato.

 

bruno-segalla1

 

Em 1978 e 1979 chega ao fim o período econômico chamado milagre econômico. No sindicato, foi eleito para presidir a entidade Ivo Antônio Sartor (1978-1981). Em 1981 ocorreu a Primeira Conferência Nacional da Classe Trabalhador (Conclat) em Praia Grande. Nesse ano, assume a presidência do sindicato Romeu Pieruccini. No ano de 1984, elege-se presidente Enio João da Silva Marques. Foi quando ressurgiu a mobilização sindical em Caxias do Sul, combinando a luta econômica com a luta política pela democratização do país (Diretas Já). Nesse ano, foi inaugurado o ambulatório médico e odontológico para atendimento dos associados e seus dependentes. No ano seguinte, os operários de Caxias do Sul das empresas Lavrale, Fras-le, Agrale e Eberle mobilizaram-se em torno das reivindicações da trimestralidade (a reposição salarial). Em 1986 iniciou a mobilização na Engemac, expandiu-se para outras empresas, como a Randon, onde houve um grande confronto entre a Brigada Militar e operários. O movimento grevista se expande para outras fábricas.

Em 1987 foi eleito presidente José Altamiro Paim (1987-1993). A diretoria enfrentou o desafio de mobilizar os trabalhadores através de greves relâmpago, diante do congelamento dos salários efetuado pelo Plano Bresser e do posterior reajuste salarial ocasionado pela Universidade de Referência de Preços (URP). Em 1989 os trabalhadores metalúrgicos de Caxias do Sul participaram da Greve Nacional de dois dias. Em 1996, participaram de uma greve geral em protesto ao desemprego. Em meio a esse processo, os trabalhadores elegeram para a presidência Jorge Antonio Rodrigues (1993-2002). Desde o princípio dos anos 90, adotou-se a prática de realizar assembleias nas portas das fábricas. Em 2002, a presidência da entidade passou a ser exercida por Assis Flávio da Silva Melo, atualmente presidente do Sindicato, e que retoma sua cadeira como Deputado Federal pelo PCdoB em Janeiro de 2017.