PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

CTB RS e Fórum de Centrais Sindicais/RS promovem mobilização em defesa do Salário Mínimo Regional

Nesta quinta-feira (21), Porto alegre foi palco de uma grande mobilização em torno da defesa do salário mínimo regional. A campanha é liderada pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil do RS (CTB-RS), que em conjunto com as demais entidades do Fórum das Centrais Sindicais/RS estão pressionando o Governo Estadual para um índice de reajuste 10,3%, valorizando os trabalhadores e trabalhadoras gaúchas.

Mesmo com o congelamento do mínimo regional há dois anos e com a inflação nas alturas, o governo de Eduardo Leite mantem-se intransigente e fecha as portas para um entendimento de um reajuste justo. A proposta apresentada pelo governo é de apenas 2,7%, índice menor do que foi apresentado em 2020.  

A falta de diálogo por parte Governo do RS não impede o poder de mobilização e articulação. Através do protagonismo da CTB/RS, a partir da liderança do comerciário Guiomar Vidor, presidente da entidade, saídas estão sendo construídas para garantir a valorização das categorias profissionais impactadas pelo Salário Mínimo. Em audiência pública na Assembleia Legislativa nesta manhã, Vidor foi um dos principais interlocutores e porta-voz em defesa dos 10,3% de reajuste salarial.

Após a discussão na Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo com deputados estaduais, assessores técnicos, representantes sindicais e de segmentos econômicos, dirigentes sindicais realizaram ato em frente ao Piratini. As palavras de ordem pressionavam o Eduardo Leite à valorizar os trabalhadores gaúchos. Com a movimentação, representantes do Governo Estadual receberam as Centrais Sindicais que entregaram pauta com reivindicações pelo reajuste de 10,3%.

O Mínimo Regional é fundamental para garantir um salário digno a diversas categorias profissionais, como os empregados rurais, domésticas e motoboys. Os estudos apontam que mais de 1,5 milhão de famílias são impactados diretamente pelo reajuste. Isso significa recuperar o poder de compra e melhorar a condição de vida dos trabalhadores duramente atingidos pela alta da inflação. Só a cesta básica já aumento 32,5% nos dois últimos anos no Rio Grande do Sul. Um reajuste digno significa reaquecer a economia, valorizando o poder aquisitivo e o consumo, que por sua vez fortalece o comércio e o setor de serviços e reativa a indústria beneficiando toda a cadeia econômica.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e região esteve presente nas mobilizações e seguirá firme apoiando a luta dos trabalhadores e trabalhadoras gaúchas pela valorização do seu trabalho. 10,3% já!