A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-RS) realizou ato no aeroporto Salgado Filho para dialogar com deputados federais que, na manhã desta segunda-feira (20/1), embarcavam para Brasília. A manifestação, organizada pelo Fórum Permanente em Defesa da Previdência Social Pública Urbana e Rural, aconteceu contra as reformas propostas pelo governo Temer, que prejudicam diretamente a classe trabalhadora.

Além de segurar faixas e cartazes, os dirigentes sindicais também buscaram dialogar com a sociedade que transitava pelo aeroporto. Através da entrega de panfletos, a CTB comprova que a previdência não tem déficit como defende o governo federal. Segundo dados da ANFIP (Associação Nacional dos Auditores da Receita Federal do Brasil), em 2015, os gastos com a Seguridade Social foram de R$ 683 bilhões, enquanto as receitas somaram R$ 694 bilhões. O resultado assim foi positivo de R$ 11 bilhões. Ou seja, superavitário.

A razão, segundo material distribuído pela CTB, que leva ao “déficit” defendido pelo governo é as desonerações e renúncias fiscais que chegam a R$ 142,9 bilhões. Além das sonegações (R$ 460 bilhões) e a desvinculação de receitas da união (DRU – R$ 63 bilhões). Como se não bastasse essa série de benefícios concedidos a banqueiros e especuladores financeiros, gastos com a dívida pública comprometem 45% do orçamento da União, somando, em 2015, R$ 978 bilhões.

A CTB se contrapõe à proposta da Reforma da Previdência apresentada pelo governo Temer, que prevê uma idade mínima única para a aposentadoria de homens e mulheres, urbanos e rurais, de 65 anos e 49 anos de contribuição, além da desvinculação do salário mínimo como base de rendimento e reajuste das aposentadorias.

O objetivo principal da reforma não é sanar as contas públicas, mas sim obrigar o cidadão brasileiro a contratar um plano de saúde privado. A sociedade brasileira não pode admitir tamanha atrocidade contra aqueles que dedicaram suas vidas à construção da riqueza desta nação!!

Texto e fotos: Aline Vargas/CTB-RS