PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Evolução na negociação depende da mobilização da categoria: agora é força total na Assembleia Geral

Captura de Tela 2018-07-26 às 11.37.38
Nesta quarta-feira, 25, ocorreu a sétima reunião de negociação sobre a Convenção Coletiva da categoria metalúrgica de Caxias e região, na Uniftec. A comissão de negociação do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos avaliou no final do encontro que o aumento das mobilizações com as assembleias nas portas de fábrica, que vem ocorrendo desde a semana passada, se fizeram sentir na mesa de negociação. Como há assembleia geral no próximo sábado, 28, patrões devem apresentar nova proposta de reajuste até o final da semana. Até o momento acenaram com apenas 2%.
O presidente do Sindicato, Claudecir Monsani, afirmou que a ampliação da mobilização da categoria mudou o tom da patronal na mesa, que passaram a tratar com mais foco as reivindicações dos metalúrgicos e metalúrgicas, como a necessidade de valorizar o piso da categoria, a proibição da gestantes e lactantes em locais insalubres, férias iniciarem no primeiro dia da semana, entre outras. Porém, Monsani avalia que ainda há muito por garantir em relação à pauta, o que exige aumentar ainda mais a mobilização.
Mesmo assim, os patrões seguem insistindo com uma pauta de retrocessos, baseada na reforma trabalhista. “A reforma trabalhista, que veio só retirar os direitos dos trabalhadores, dificultou ainda mais as negociações. Nessa reunião, conseguimos evoluir em alguns pontos. Os patrões perceberam que os trabalhadores estão unidos e não vão aceitar retrocessos”, avaliou Claudecir Monsani, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos.
Todos e todas na assembleia Geral
O presidente acredita que a resistência da categoria será o ponto chave para barrar a ofensiva dos patrões. “Nesses últimos dias, realizamos uma série de assembleias nas portas das fábricas. A categoria está unida. Vamos mostrar, mais uma vez, a força dessa unidade. Vamos fazer uma grande assembleia no próximo sábado, dia 28, às 9h30min, para decidirmos juntos o encaminhamento das negociações. A categoria que vai decidir se vamos pedir a mediação das negociações na Justiça do Trabalho”, ressaltou Monsani.

Seja o primeiro a comentar em "Evolução na negociação depende da mobilização da categoria: agora é força total na Assembleia Geral"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*