PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Fazenda vê risco de rombo ainda maior nas contas para salvar Temer

Foto: Joédson Alves/ EFEFoto: Joédson Alves/ EFE

Capitaneada pelo ministro Henrique Meirelles (Fazenda), a área econômica do governo vê com ceticismo o efeito no Orçamento causado pelo enfraquecimento de Michel Temer. O Tesouro prevê um rombo de R$ 139 bilhões neste ano. Mas está difícil conseguir essa meta, por mais deficitária que seja.

O presidente se mantém no cargo após absolvição do TSE mas, para conseguir manter o apoio no Congresso, o governo distribui benesses. Eis uma tabela com as “bondades”:

Frustração de receitas

Algumas medidas feitas exclusivamente para garantir arrecadação extra não se concretizarão. É o caso do fim das desonerações da folha de pagamentos (MP 774). O governo acreditava em receita de R$ 4,8 bilhões com a medida. Agora, o cálculo está em R$ 2,5 bilhões.

Nas reuniões internas do governo para tratar das reivindicações dos aliados, Meirelles tem deixado claro: tudo o que for cedido de um lado terá que ser cortado de outro. Isso significa que, além do desgaste da aprovação das reformas, no 2º semestre o Congresso pode ter que votar cortes no Orçamento.

Recentemente, o governo liberou R$ 3,1 bilhões para gastos de um total de R$ 42,1 bilhões contingenciados em abril. Deste total, maior parte irá para a pasta da Saúde.

Mais custos 

E mais custos poderão ocorrer: a pedido da bancada de Minas Gerais, o Planalto pressiona a Fazenda a duplicar a distribuição dos royalties da exploração mineral para municípios. Também encomendou ao Banco do Brasil um estudo para que os produtores rurais da área da Sudene em MG tenham suas dívidas renegociadas, com os mesmos benefícios dos agricultores do Nordeste.

Novo Refis maior

Depois de negociar exaustivamente com a Fazenda, deputados e senadores já preparam modificações no texto do novo Refis. Até agora, foram apresentadas 309 emendas ao projeto. A maioria pede a redução no valor de entrada do pagamento das dívidas, atualmente em 20%.

Fonte: Poder 360 via Portal Vermelho

Seja o primeiro a comentar em "Fazenda vê risco de rombo ainda maior nas contas para salvar Temer"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*