PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Metalúrgicos com salários atrasados procuram Sindicato

Funcionários da Hidrodinâmica temem fechamento da empresa

Na tarde desta quarta-feira, 07 de outubro, o Sindicato dos Metalúrgicos recebeu os metalúrgicos da Hidrodinâmica. A empresa está com os salários atrasados há dois meses, INSS descontado e não depositado, assim como 18 meses sem depósito do Fundo de Garantia e não pagamento do plano de saúde que era integral para o titular. Eles também reclamam de terem caído na malha fina porque a empresa não fez a efetivação do imposto de renda. De acordo com os funcionários, a situação está assim a pelo menos um ano.

Ao todo, seis metalúrgicos compõe o quadro da empresa. Todos eles com mais de 20 anos de casa. O que menos tempo tem, está há 13 anos. Localizada no bairro Presidente Vargas, a Hidrodinâmica fabrica prensas hidráulicas e matrizes. 

Não há contato com os proprietários

Um dos trabalhadores contou que a Hidrodinâmica era propriedade de um caxiense e que foi vendida para um grupo há cerca de três anos. Ele ressaltou que no momento da transição tiveram a promessa de que tudo continuaria igual. “Não ficou.”

“Os novos proprietários estiveram duas ou três vezes na fábrica e por menos de 15 minutos. Nunca falaram conosco. Até hoje, não sabemos de fato, quem são eles”, disse o metalúrgico.

De acordo com os trabalhadores, os administradores residem em Araraquara e fazem parte do grupo FLG.

“É uma pena. Eu não sei se estou triste ou bravo. Não queria colocar a empresa na Justiça. Nunca fiz isso. Se algum empresário quisesse comprar, isso é um negócio que dá dinheiro”, salientou o trabalhador.

Ações sindicais

O Sindicato está trabalhando em várias frentes, buscando alternativas. Para preservar o direito dos metalúrgicos, entrará com um pedido de arresto de bens. “Vamos tentar construir alternativas para preservar os empregos. Nós não queremos que tudo acabe. Antigamente, lutávamos para ganhar, hoje o momento é de lutar para não perder. Mas, nós trabalhadores vamos nos ajudar, ter forças para superar essas questões. Há um ótimo produto sendo feito aqui, mão de obra qualificada, precisamos alguém que invista”, declarou o presidente do Sindicato, Assis Melo.

Apelo

Emocionado, outro trabalhador fez um apelo junto aos demais colegas. “Nós sabemos que a empresa é viável. O que faltou aqui foi uma administração presente. Nós precisamos de alguém que compre a empresa. Sabemos que os proprietários vendem. Não precisa muito investimento inicial. Há os parceiros que apostam na gente. Nossas máquinas são de ótima qualidade. Com certeza, vai gerar lucro e empregos”, destacou.

Os trabalhadores pediram para não serem identificados.