PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Na Microinox, Sindicato dos Metalúrgicos e trabalhadores seguem na luta por direitos

Os 118 demitidos nos dias 6 e 7 de abril da empresa Microinox seguem na luta para receber suas verbas rescisórias. Em protestos na frente da fábrica desde o dia 20 de abril, após a empresa mandá-los procurar seus direitos na Justiça, os trabalhadores reivindicam somente o que lhes é de direito. “Não estamos fazendo nada de errado, somente queremos o que é nosso”, ressalta uma das trabalhadoras.

Em movimento pacífico, os trabalhadores estão na empresa nesta segunda-feira, 27 de abril. “A única coisa que eles dizem é que não tem como pagar. Nós sabemos que a Microinox não é a única empresa do proprietário. Há outras que dão muito lucro. Nós não queremos nada que não seja de nosso direito”, desabafou outro trabalhador.

Ao lado dos metalúrgicos e metalúrgicas, Sindicato batalha pelos empregos

Desde o início da crise provocada pelo avanço da pandemia do novo coronavírus, o Sindicato dos Metalúrgicos não tem medido esforços em defesa da preservação dos empregos e da renda dos trabalhadores, tendo como prioridade a vida. Desde meados de março, tem trabalhado pela construção de acordos com o patronal para tentar minimizar os efeitos da crise para os trabalhadores.

Na Microinox, há mais de duas semanas o Sindicato vem tentando negociar com os patrões e garante que a luta vai continuar até que se obtenha um resultado positivo para  trabalhadores e trabalhadoras.

“Quem quer fechar a empresa são os patrões. Fechar e não pagar os trabalhadores e trabalhadoras. Não é o Sindicato que fecha fábrica. O Sindicato quer que a empresa reintegre todos os demitidos e que os empregos sejam mantidos. Nosso esforço é para que a empresa continue, para que mantenha os empregos, os salários dos trabalhadores. É essa nossa luta. Se realmente não dá pra continuar, que pague todo mundo. Não vamos abaixar a cabeça e aceitar. Nossa manifestação na empresa é para dizer para as autoridades, para a sociedade caxiense, para o Rio Grande do Sul e o Brasil, que os trabalhadores da Microinox querem seus direitos”, ressaltou o presidente do Sindicato, Assis Melo, no início desta manhã.