PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Por falta de pagamento, trabalhadoras da Vehtec paralisam atividades

Nesta quinta-feira, 16 de abril, mais de dez metalúrgicas da Vehtec paralisaram as atividades da empresa para reivindicar o pagamento do mês de março e as férias. Desde o sexto dia útil, as trabalhadoras questionam sobre o pagamento e tem como resposta da gerente geral, Patricia Frizzo, de que será efetuado no dia seguinte.

Algumas das metalúrgicas ainda estão em período de férias, concedidas após os 15 dias de fechamento realizado para o cumprimento do decreto municipal devido ao coronavírus.

– No dia 08, fomos chamadas para cumprir férias retroativas ao dia primeiro. Isso não existe. Esse não é o momento para fazer isso com a gente. O momento já é estressante. Não sabemos o dia de amanhã. Estamos em casa, com medo, e sem receber salário – afirmou Marcia Rosane Elias, que está há 8 anos na Vehtec.

Após 29 anos, demitida

Teresinha Tonet Alves foi demitida da empresa na segunda-feira, 13 de abril. A gerente de produção permanece ao lado das colegas, mas sente pela falta de reconhecimento e sensibilidade dos proprietários.

– 29 anos de empresa e ninguém para dizer ‘obrigado pelos anos de dedicação.’ Eles não conversam conosco. É assim e ponto.

Além das 10 trabalhadoras que permanecem lutando pelos seus direitos na frente da empresa, cerca de mais de 10 também estão sem receber o salário de março.

Suporte

O Sindicato dos Metalúrgicos segue dando o suporte para as trabalhadoras e tentando negociar com a empresa. Durante a tarde, o proprietário chamou a direção do Sindicato que se reuniu com os representantes da empresa e duas trabalhadoras.

– Nos chamaram para dizer o que estão dizendo há mais de 10 dias para essas trabalhadoras. Diariamente, elas escutam que vão receber no dia seguinte. O proprietário nos disse que vai pagar. Nós garantimos que assim que o pagamento for feito, as trabalhadoras suspendem a paralisação. Enquanto não pagar, vamos continuar reivindicando o direito das metalúrgicas na frente da empresa, – ressalta Beto Osório, diretor de Comunicação do Sindicato.