PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Relator da reforma trabalhista pede desembarque do PSDB do governo

Senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). Foto: Gerdan WesleySenador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). Foto: Gerdan Wesley

Nesta segunda-feira (12), pouco antes da reunião da executiva nacional do PSDB, que discutira o desembarque ou não do governo de Michel Temer, o relator da reforma trabalhista no Senado, o tucano Ricardo Ferraço (PSDB-ES), defendeu que a legenda entregue os cargos por conta das “denúncias devastadoras” contra Temer.

“É uma crise insustentável, as denúncias são devastadoras, e o governo não encontrará tempo para se organizar em torno da agenda que nós precisamos. Todo o tempo do governo será dedicado à sua defesa, e isso compromete esse processo e a evolução das reformas que o Brasil necessita”, declarou Ferraço.

E acrescenta: “Nós precisamos olhar para a vida como ela é e não como nós gostaríamos como ela fosse. Toda vez que você tem fatos, e quando eles são fortes como são, nós precisamos rever as nossas crenças. Então não dá para você olhar para o ambiente e achar que somente a preocupação com o dia seguinte deve se estabelecer num momento como esse. Os fatos indicam que, na prática, o partido deve entregar os cargos para que a gente possa continuar lutando pelas reformas”.

O parlamentar foi um dos primeiros a defender a saída dos tucanos do governo Temer. Assim que foram reveladas as conversas de Temer com o empresário Joesley Batista, da JBS, Ferraço emitiu nota em que afirmava que as reformas não tinham mais condições de avançar. Depois, pressionado, retomou as atividades nas comissões seguindo o roteiro do governo.

Apesar disso, suas declaração evidencia que, mesmo que o PSDB permaneça no governo, será contrariando a base interna da legenda. A lua de mel dos golpistas acabou.

 

Fonte: Portal Vermelho

Seja o primeiro a comentar em "Relator da reforma trabalhista pede desembarque do PSDB do governo"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*