PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Resistência dos trabalhadores barra avanço do golpe de Temer

del_roio104140

Entrevistado nesta quinta-feira (22) no programa Repórter Sindical na Web, Del Roio destaca que essa derrota está expressa na ínfima aprovação de Temer que, apesar do suporte do capital e da grande mídia, está perto de 5%. A derrota, contudo, não significa o fim do governo e do projeto neoliberal. Para tanto, será preciso radicalizar a pressão social e ampliar as frentes de mobilização popular.

“A resistência é forte e tem no centro o movimento sindical. Até porque, como o golpe possui um viés classista, é natural que a resistência mais forte também traga a marca de classe”, observa Del Roio. O sindicalismo, ele lembra, “tem presença nacional, o que dá peso às suas ações, como foi a greve geral em 28 de abril”.

Ampliar apoios

Mas é preciso fazer mais. “Observe que o golpe, conforme já indicado no documento ‘Uma Ponte para o Futuro’, centra seu ataque nas conquistas trabalhistas e sindicais, para beneficiar o capital e ampliar seus ganhos”, argumenta. Nossa reação, ele comenta, precisa ganhar corpo e ser mais articulada. “Precisamos superar a fragmentação e ampliar apoios”, afirma.

Saída para a crise

Para o pesquisador Del Roio, a própria elite que apoiou a derrubada de Dilma não sabe como tirar o Brasil da crise. Ele comenta: “A cúpula de apoio a Temer também se fragmenta. Nós devemos reforçar a pressão junto a esses setores, especialmente no Congresso e a partidos da base de sustentação do governo. Pressionar e dialogar”.

Agência Sindical

Seja o primeiro a comentar em "Resistência dos trabalhadores barra avanço do golpe de Temer"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*