PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Salários congelados: o presente de quem ganhou as eleições

Governo Leite e deputados aliados aprovam reajuste zero para o salário
mínimo regional no RS

Os partidos vitoriosos nas eleições resolveram nesta terça-feira (01/12), aprovar o reajuste zero para o piso salarial de mais de 1,3 milhão de trabalhadores gaúchos. O projeto enviado pelo Governo Estadual à Assembleia Legislativa originalmente previa reajuste de 4,5%. Em uma articulação encabeçada pelo Líder do Governo, deputado Frederico Antunes (PP), em conjunto com os partidos da base aliada do governador Eduardo Leite (PSDB), a cúpula do Palácio Piratini articulou a retirada de direitos e o arrocho salarial da classe trabalhadora no Rio Grande do Sul.

Enquanto isso, Santa Catarina e Paraná, por exemplo, concederam um reajuste de 4,96% e 5,86 respectivamente – demonstrando que o reajuste salarial de 4,5%, proposto inicialmente estaria de acordo com a realidade socioeconômica da Região Sul.


Com a medida, o piso regional vai sofrer uma desvalorização de mais de 7,4%, visto que a inflação marcada pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) somou 4,48% em 2019; e 2,95% em 2020 (de janeiro a outubro). Ainda mais absurdo é que os mesmos empresários que reajustaram a cesta básica nos últimos 12 meses, em 25,51%, são os que pressionaram pela aprovação vergonhosa do reajuste zero. Seus interesses estão acima do desenvolvimento regional e do enfrentamento à crise, ficando às custas do suor dos trabalhadores e trabalhadoras do RS.

Através das redes sociais, o presidente da Central de Trabalhadores e
Trabalhadoras do Brasil – CTB-RS, Guiomar Vidor, denunciou a medida. “Além de buscar no campo jurídico a inconstitucionalidade desta votação, que traz enormes prejuízos ao poder de compra dos assalariados, a CTB continuará lutando e denunciando estes traidores do povo, ao mesmo tempo em que continuará lutando por políticas de retomada do desenvolvimento econômico, do emprego e da valorização do trabalho” disse o líder sindical.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região, Assis Melo, expressa a preocupação com a aprovação da matéria. “Enquanto os produtos da cesta básica estão cada vez mais caros, o salário dos trabalhadores diminui. Não haverá solução através do arrocho salarial. A medida, além de contribuir no desaquecimento da economia, impacta diretamente no desenvolvimento e geração de empregos. A classe trabalhadora, quando valorizada e com seu salário e direitos
garantidos faz a economia girar. Precisamos cada vez mais da união e
fortalecimento dos trabalhadores e trabalhadoras para enfrentar esse cenário difícil.”


Veja abaixo os deputados que votaram pelo REAJUSTE ZERO para o salário
mínimo regional e DENUNCIE:

Carlos Búrigo – MDB
Edson Brum – MDB
Gabriel Souza – MDB
Fabio Branco – MDB
Sebastião Melo – MDB
Tiago Simon – MDB
Vilmar Zanchin – MDB
Gilberto Capoani – MDB
Frederico Antunes – PP
Sérgio Turra – PP
Silvana Covatti – PP
Issur Koch – PP
Dirceu Franciscon – PTB
Kelly Moraes – PTB
Elisandro Sabino – PTB
Capitão Macedo – PSL
Ruy Irigaray – PSL
Tenente Coronel Zucco – PSL
Vilmar Lourenço – PSL
Luiz Henrique Viana – PSDB
Mateus Wesp – PSDB
Pedro Pereira – PSDB
Zilá Breitenbach – PSDB
Franciane Bayer – PSB
Dalciso Oliveira – PSB
Fran Somensi – REPUBLICANOS
Fábio Ostermann – NOVO
Giuseppe Riesgo – NOVO
Airton Lima – PL

Paparico Bacchi – PL
Eric Lins – DEM
Tiago Duarte – DEM
Any Ortiz – CIDADANIA
Neri o Carteiro – SOLIDARIEDADE

Deputados que votaram CONTRA A EMENDA QUE CONGELOU O SALÁRIO
MÍNIMO regional e EM FAVOR DO AUMENTO de salários para os trabalhadores e
trbalhadoras do RS:
Fernando Marroni – PT
Pepe Vargas – PT
Sofia Cavedon – PT
Valdeci Oliveira – PT
Zé Nunes – PT
Luiz Fernando Mainardi – PT
Edegar Pretto – PT
Jeferson Fernandes – PT
Juliana Brizola – PDT
Luiz Marenco – PDT
Rodrigo Maroni – PROS