PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

10 de setembro: Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

Atualmente, o suicídio é a segunda principal causa de mortes entre jovens e adultos com idade entre 15 e 29 anos. Diariamente cerca de 32 brasileiros tiram suas próprias vidas, uma triste realidade enfrentada no país. Esses números poderiam ser evitados ou reduzidos consideravelmente se existissem políticas públicas eficazes de prevenção do suicídio.

Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais e depressão. O assunto ainda é um tabu e existem barreiras para a prevenção. A dificuldade em buscar ajuda, a falta de conhecimento e de atenção sobre o assunto e a ideia errônea de que o comportamento suicida não é um evento frequente são alguns fatores que impedem uma discussão mais profunda sobre o tema.

Lutar contra esse tabu é fundamental para que a prevenção seja efetiva. A prevenção do suicídio não se limita à rede de saúde, mas deve ir além dela sendo necessária a existência de medidas em diversos âmbitos na sociedade que poderão colaborar para a diminuição de taxas de suicídio. A prevenção deve ser também um movimento que leve em consideração os aspectos biológico, psicológico, político, social e cultural, no qual o indivíduo é considerado como um todo em sua complexidade.

Não ignore um pedido de ajuda. Fique atento aos sinais. Todas as vidas importam!

A incidência de problemas relacionados a saúde mental se torna maior nos ambientes de trabalho, condicionado também as modalidades de trabalho em home office, onde as metas de serviço ultrapassam os limites físicos e mentais dos trabalhadores. Em muitos casos, a carga de trabalho passa de 14 horas diárias de trabalho. Os trabalhadores acabam “mergulhando no tempo”, sem perceber o quanto estão se sacrificando para o alcance de metas inatingíveis. Ainda os trabalhadores afastados em “lay off” que sofrem com a insegurança de não mais poder voltar a seus empregos.

Uma geração de trabalhadores estão adoecendo pela exploração, falta de perspectivas e condições inadequadas para seu exercício profissional. Deprimidos, inseguros, tristes são mais suscetíveis em desenvolver problemas relacionados a saúde mental. Por isso, campanha como o Setembro Amarelo são de grande importância diante das necessidade de se discutir o tema e buscar políticas públicas para garantir a saúde plena dos trabalhadores e trabalhadoras.