PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Sindicato dos Metalúrgicos e Simecs suspendem reunião de negociação da Convenção Coletiva 2020

Primeira morte de metalúrgico, aumento do número de casos positivos na categoria e caso da JBS trouxeram o foco para pandemia e procurador do município foi chamado para encontro a tarde

O Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e o patronal (Simecs) agendaram a primeira reunião de negociação da Convenção Coletiva 2020/2021 para  início da manhã desta quinta-feira, 25 de junho. O Sindicato dos Trabalhadores apresentou as propostas aprovadas em Assembleia Geral Extraordinária Virtual da categoria, que foi realizada entre 29 a 31 de maio. Entre as reivindicações, há a solicitação para atenção especial nas seguintes questões: respeito à proteção ao emprego, cláusula incluída na Convenção Coletiva Extraordinária elaborada para o período de pandemia, reajuste a valorização salarial, elevação do piso da categoria, respeito ao registro contratual CTPS, valor mínimo para Planos de Participação de Lucros e Resultados, auxílio-creche para a criança, redução na alíquota do transporte, entre outras.

Suspensão da reunião

Em respeito a primeira morte de um trabalhador da categoria metalúrgica por covi-19, em preocupação ao aumento do número de casos da doença na categoria metalúrgica e do caso da JBS que impressiona a toda comunidade caxiense, o Sindicato dos Metalúrgicos e o Simecs decidiram suspender a negociação e focar suas atenções na pandemia.

As entidades decidiram realizar uma reunião a tarde, a partir das 14 horas, para tratar da questão. O procurador do município e o gerente-regional do trabalho foram convidados e confirmaram presença.

“A situação está ficando muito grave. Os trabalhadores estão ficando muito expostos à doença. Ontem perdemos um companheiro. Não queremos e não vamos aceitar perder mais nenhum. O poder público precisa agir urgentemente. São vidas, são famílias. Trabalhamos até nosso limite para poder garantir a segurança dos trabalhadores e trabalhadoras nas fábricas, nos transportes, na execução do trabalho, estamos vigilantes, averiguando as denúncias. Mas, o poder público precisa agir. É urgente e imprescindível a testagem em toda a categoria”, ressalta o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Assis Melo.