PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

Sindicato dos Metalúrgicos entrega pautas da Campanha Salarial 2021 ao SIMECS

Nesta segunda-feira (26/04), a direção executiva do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Caxias do Sul e região esteve presente na sede do SIMECS para a entrega das reivindicações da Campanha Salarial 2021-2022. A expectativa é de uma grande mobilização em prol da recuperação do poder de compra da categoria.

As pautas levantadas pela entidade sindical foram amplamente discutidas e construídas junto a categoria através de assembleias nas portas de fábrica e no contato direto com diretores sindicais e aprovada em assembleia geral extraordinária realizada nos dias 10 e 11 de março. O principal objetivo do Sindicato é a conquista de ganho real no salário da categoria e a garantia de direitos sociais, sem abrir mão da defesa da vida e da vacina já.

A entrega das pautas ocorreu após o lançamento oficial da Campanha Salarial realizado no último sábado. Em transmissão ao vivo nas redes sociais foram divulgadas as reivindicações da categoria, junto ao jingle oficial e charge assinada pelo renomado cartunista Iotti. A campanha leva a palavra de ordem: Para economia andar, vacina e aumento já! que já está repercutindo positivamente em diversos setores da sociedade. Durante a live, diversas figuras públicas e lideranças políticas e sindicais do Rio Grande do Sul e do Brasil trouxeram sua mensagem de apoio à luta dos metalúrgicos e metalúrgicas de Caxias do Sul e região.

Agora, com a oficialização da entrega das pautas, o Sindicato dos Metalúrgicos intensificará a agenda de movimentações para a negociação do dissídio. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos destaca a importância da valorização da categoria metalúrgica através de salários justos para a recuperação econômica da região. “É o metalúrgico e a metalúrgica que compra no comércio do bairro, faz a economia local girar. Com o arrocho salarial, há um ciclo vicioso de recessão na economia. Precisamos garantir aumento real nos salários, para recuperar o poder de compra e valorizar o trabalho. Somado a isso é preciso defender a vida e a vacina já! Só assim vamos avançar!” afirma o presidente.

Entre as principais pautas levadas para a negociação da Convenção Coletiva está a instituição do triênio em vez de quinquênio; a equiparação salarial entre homens e mulheres que exercem mesma função profissional; a extensão do auxílio-creche a pais e mães, tendo como referência o direito à criança; elevação do piso da categoria para o valor de R$ 3.000,00; adicional de insalubridade em grau médio para funções relacionadas à fábrica; responsabilidade da empresa na lavagem de uniformes utilizados no exercício profissional; e o custeio total por parte do empregador nos valores relativos ao transporte.