PORTAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

         

TRABALHADORES DEFENDEM UNIÃO PELO EMPREGO E PELA VIDA

Live reuniu representantes de trabalhadores, deputado federal e senador no lançamento da campanha #NÃODEMITA: PROTEJA OS EMPREGOS E A VIDA

O Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região lançou, oficialmente, na noite desta terça-feira, 23 de junho, a campanha #NÃODEMITA: PROTEJA OS EMPREGOS E A VIDA, através de uma live na página da entidade no Facebook que contou com a presença do Deputado Federal Orlando Silva, do Senador Paulo Paim, do professor e economista David Fialkow Sobrinho, da Secretaria da Mulher da Fitmetal Eremi Melo e do presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil Adilson Araújo. A live comandada pelo presidente do Sindicato, Assis Melo, contou com mais de mil e setecentas visualizações, e teve participações de outros sindicatos, federações e políticos que manifestaram o apoio à campanha.

MOBILIZAÇÃO

O movimento #NÃO DEMITA: PROTEJA OS EMPREGOS E A VIDA tem como objetivo debater alternativas e soluções para superação da crise, consequência da pandemia do novo coronavírus. Para isso, um amplo debate deve ser feito, nacionalmente, com a sociedade, o poder público, os trabalhadores e os empresários.

“É hora de unir forças para construir soluções que preservem a saúde, protejam os empregos, além de assegurar uma renda básica digna para os desempregados e autônomos, além de medidas para sobrevivência das empresas. O debate #NÃODEMITA deve ultrapassar as fronteiras de Caxias, da Serra Gaúcha e do Estado. O manifesto está disponível e pode ser acessado e assinado por entidades sindicais, empresariais, pessoas físicas e jurídicas”, anunciou Assis Melo.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos também falou sobre dois outros vieses da mobilização, que é o da solidariedade e de fortalecimento do sindicato. “A campanha Doe Pela Vida mobiliza a comunidade na doação de alimentos para montagem de cestas básicas e à doação às pessoas que mais necessitam. O outro é o fortalecimento da entidade através da associação. Neste momento difícil, precisamos fortalecer ainda mais a entidade”, explicou Assis.

LIVE

As transmissões devem se estendem até agosto, com lives semanais ou quinzenais. A ideia é que personalidades de diversas áreas façam parte dos debates. “Nós queremos que o setor empresarial, político, sindical e econômico possam nos ajudar a construir propostas para as dificuldades dos trabalhadores, das trabalhadoras, e a sobrevivência das empresas”,  ressaltou o presidente da entidade metalúrgica.

“NÃO DÁ PARA AS EMPRESAS TEREM SUPORTE E NÃO MANTEREM OS EMPREGOS. ESSE É O PONTO”

O Deputado Federal Orlando Silva fez uma análise sobre a cena que se desenha no Brasil, onde as empresas recebem incentivos e a expectativa, muitas vezes frustrada, é de que em troca elas mantivessem os postos de trabalho.

“As empresas no Brasil, por causa da crise, tiveram diferimento de impostos. Isso quer dizer o que? Adiou o prazo de pagamento de impostos. As empresas tiveram crédito barato para financiar folha de pagamento. O que é correto. Infelizmente, esse crédito quase não foi utilizado, porque Bolsonaro e Paulo Guedes deixaram na mão dos bancos e os bancos querem ganhar até na crise. Então foi usado um percentual muito pequeno. Há duas semanas, foi lançado um programa para micro e pequenas empresas. Um atraso de três meses. Tudo bem. O Governo é muito lento, demorou muito para apresentar. Mas, oferecem um programa para micro e pequenas empresas. Tem capital de giro com juros baixo, ou seja, há uma série de medidas para proteger empresas: micro, pequenas, médias, grandes. Quando voto isso no Congresso Nacional, voto na expectativa de de que isso se traduza na manutenção de postos de trabalho (….) Se você demite trabalhadores, se você diminui o peso da massa salarial na economia nacional, você vai estar cavando mais o buraco da crise. A situação é difícil hoje e nós sabemos que a reconstrução pós-pandemia vai ser difícil, quanto mais fundo o buraco, mais difícil sair dele”, analisou o deputado.

Orlando ressaltou a importância da campanha #NÃODEMITA. “Esse esforço de lutar pelo emprego, pelos direitos, pelos salários, pela renda, é o esforço de proteger a família dos trabalhadores brasileiros. Quero cumprimentar o Sindicato pela iniciativa. Espero que esse movimento inspire outros sindicatos de trabalhadores e sindicatos patronais.”

EMPRESÁRIOS DEVEM PARTICIPAR DOS PRÓXIMOS DEBATES

O grande consenso no discurso, entre os participantes, foi o de que os empresários precisam estar também engajados nesta campanha, assim como trabalhadores de outras categorias e outras entidades.

“Essa campanha não é só dos metalúrgicos. Nós queremos trazer outras categorias para o debate, assim como os empresários. Se o Governo não cria as formas, nós precisamos dizer a eles. Essa é a nossa luta”, destacou a Secretária da Mulher da Fitmetal, Eremi Melo.

O professor e economista David Fialkow Sobrinho ressaltou que “a campanha #NÃODEMITA é extremamente meritória porque nessa hora o Governo fala que não pode mais pagar os 600 reais porque vai gerar déficit público. É uma estupidez. Todos os economistas com quem converso afirmam que o Governo tem como bancar isso, até por mais de um ano. Nessa campanha é importante que se junte os setores mais amplos. Não é brincadeira, a situação das famílias já é desesperadora.”

A BOA NOTÍCIA

O Senador Paim, com pauta e votação em andamento no Senado, entrou na live por um momento para saudar a campanha do Sindicato. “Estou muito animado com essa campanha que vocês estão lançando. É uma boa notícia no meio de tantas notícias tristes. É importante, agora, que o Estado cumpra sua parte. Temos que pressionar o Governo para que libere as propostas e projetos. É uma campanha humanitária e grandiosa”, avaliou o senador.

Para o presidente da CTB, Adilson Araujo, a proposta da campanha “é o que existe de mais efetivo e moderno. A CTB abraça a campanha. Todos nós temos clareza de que a classe trabalhadora, o povo brasileiro, se encontra numa encruzilhada. Os indicadores apontam um aprofundamento do flagelo social. A pandemia ajuda na crescente vulnerabilidade e o desemprego se dá muito por inexistência de um governo no nosso caso em particular. O lançamento da campanha é algo fundamental e essencial. A salvação do Brasil depende de muitas mãos. Devemos nutrir essa iniciativa, expandir para todo o país, vestir a camisa NÃO DEMITA e protagonizar uma mesa de diálogo com os empresários para que a gente possa construir esse pacto”, concluiu Araújo.

MANIFESTO

O manifesto está disponível no site https://protejaoempregoeavida.com.br/